Pratique o amor




Muitos pais enganam-se esperando um grande momento para demonstrar seu amor pelos filhos, mas este é revelado nos “pequenos nadas”, nos detalhes, nas palavras, nas ações corriqueiras e na convivência que se constrói no dia a dia:

- É na maneira como atende uma ligação do filho em momento inoportuno que o amor aparece na disponibilidade arrumada para ouvi-lo a qualquer momento.

- É no momento em que o filho erra e é descoberto que o amor se mostra no esforço por compreendê-lo e para isso ouvi-lo com amor e acolhimento, sem críticas e frases feitas.

- É na missão de disciplinar que o amor se revela sendo mais que uma promessa, sendo a força que impede a omissão de quem ama, e por amar, a disciplina é com amor.

- É na decisão de entender os medos dos filhos que o amor surge conduzindo os pais a um nível mais baixo de sua experiência, a fim de poder sentir o que o filho sente, enxergar como ele enxerga, desenvolvendo a capacidade de empatia com ele;

- É na paciência de atentamente ouvi-los repetindo as mesmas coisas, embora os pais já estejam cansados de saber, ainda sorriem, encontrando novos significados para estas partilhas.

- É no abraço demorado, apertado, no carinho espontâneo, que o amor vira simples gestos e produzem registros eternos.

- É na brincadeira livre, nos risos soltos, nos momentos em que histórias são criadas e se eternizam pela intensidade pelas quais foram vivenciadas.

- É nas atitudes em que expressa agilidade pela proteção deles em frente às ameaças externas;

- É na preferência por estar com eles a estar em outros lugares, pela alegria do compartilhar experiências e preferências;

- É no compartilhar, no dialogar, no chorar, no sorrir diante do caminhar pela vida;

- É na dor que se sentem quando eles caem, choram, sofrem e no prazer indescritível que brota no coração quando eles estão felizes, leves, mesmo que sejam por coisas insignificantes;

- É nas orações verdadeiras, muitas vezes feitas de joelhos, para que Deus os proteja e transforme suas vidas.

Mais do que “eu te amo”, amar é aproveitar, viver todas as oportunidades que temos para praticar o amor e é isto que ajuda aos pais a desenvolverem relacionamentos significativos com seus filhos, com seu cônjuge, oportunizando educação para a vida.

Complicado? Impossível? Nada disso! Basta acreditar nesse propósito, ter vontade, paciência, sensibilidade e fé. Isso é amor!

Estamos juntos nessa caminhada.


- Texto retirado do Livro Pratique o Amor de Edigleide Rabelo



4 visualizações0 comentário